PÂNICO 2

Medo de ter medo

O Pânico é um transtorno de ansiedade bastante presente na vida moderna e que atinge cerca de 1,5 a 2% da população. Algumas pessoas utilizam a palavra “Terror” para descrever o que sentem diante de uma crise de pânico.

 

Sintomas

O Transtorno de Pânico caracteriza-se por ataques de ansiedade frequentes e recorrentes que se caracteriza pelos seguintes sintomas:

  1. Palpitações ou ritmo cardíaco acelerado

  2. Sensação de falta de ar ou sensação de asfixia

  3. Sensação de tontura, instabilidade, vertigem ou desmaio

  4. Tremor ou abalos

  5. Sudorese

  6. Náusea ou desconforto abdominal

  7. Despersonalização (estar distanciado de si mesmo)  ou desrealização (sensação de irrealidade)

  8. Anestesia ou sensação de formigamento (parestesia)

  9. Calafrios ou ondas de calor

  10. Dor ou desconforto no peito

  11. Medo de morrer

  12. Medo de enlouquecer ou cometer ato descontrolado

O primeiro ataque de Pânico, geralmente, parece surgir do nada, sendo algo que marca profundamente a vida da pessoa. Depois do primeiro ataque a pessoa começa a associar os sintomas a outras situações especificas, desenvolvendo uma preocupação permanente sobre ter outro ataque, sobre as consequências desses ataques, além de alterar significativamente seus comportamentos, tornando-se assim, vulnerável a ter outros ataques.

Devido à diversidade de sintomas contida no ataque de Pânico é comum as pessoas procurarem os serviços de emergência ou diversos especialistas em busca do alivio desses sintomas, antes de ter um diagnóstico preciso da sua situação. Dependendo do sintoma que mais lhes chamou a atenção, as pessoas pode procurar um gastroenterologista se sentem diarreia, náusea, pirose, dor abdominal; um pneumologista se sente dificuldade de respirar ou sensação de sufocamento;  um otorrinolaringologista se sente dificuldade de engolir, tonteira ou desequilíbrio; um ginecologista se sente ondas de calor ou calafrios; um neurologista se sente cefaleia ou formigamento. Entretanto, o médico psiquiatra é o mais indicado para fazer o diagnóstico preciso do ataque de pânico, uma vez que ele está mais familiarizado com todos os sintomas que se associam ao quadro do Pânico.

 

Tratamento

Por se tratar de  um transtorno de ansiedade, a pessoa com Transtorno de Pânico necessita, inicialmente, de um tratamento medicamentoso para baixar a sua ansiedade e controlar os sintomas imediatos.  Paralelamente a isso, é recomendável que a pessoa faça uma terapia de base cognitivo-comportamental, para se familiarizar com o que acontece com ela durante uma crise de pânico. Na terapia ela vai ter acesso a toda informação sobre o  processo fisiológico, cognitivo e comportamental que está por trás das crises e aprender técnicas específicas para reduzir sua ansiedade e para controlar as crises de pânico.

A boa notícia é que o Pânico pode ser controlado com o tratamento adequado,  orientações precisas e exercícios de fácil execução.

 

Se você tem Pânico, entre em contato conosco. Teremos prazer em lhe ajudar!

 

Graça Oliveira

Psicóloga Clínica

Abordagem Cognitivo-Comportamental