TDAH - DESATENTO

Neste artigo vamos falar sobre o tipo predominantemente desatento do TDAH. Atualmente evita-se considerar a denominação “predominantemente”, uma vez que a pessoa pode apresentar característica de um ou de outro tipo ao longo da vida. Porém, neste artigo vamos manter essa denominação para facilitar o entendimento das diferenças entre os tipos.

 

Este subtipo pode ser notado mais tardiamente na escola, uma vez que a criança não chama muita atenção sobre ela. Ela fica quietinha em seu canto, mas a sua cabecinha está viajando por outras esferas que não a sala de aula.

 

Embora a criança desatenta não apresente uma hiperatividade física, manifestada por agitação motora, ela apresenta uma intensa hiperatividade mental, caracterizada por excesso de pensamentos que mudam a todo instante, na tentativa de acompanhar todos os estímulos que surgem à sua frente. E ela não consegue controlar isso. E sofre com isso, embora nem sempre perceba conscientemente.

 

Na medida em que ela vai avançando nos estudos, a desatenção vai ficando mais aparente, porque ela tem dificuldade de manter o foco, acompanhar seguidamente as explicações dos professores, perde partes importantes da matéria que serão fundamentais posteriormente, comete erros nas tarefas escolares. Não conseguindo se organizar, a pessoa fica angustiada, o que acaba por leva-la a desistir do que está tentando fazer.

 

A criança desatenta pode gostar muito de estudar, e nesse caso, ela necessita de um esforço infinitamente maior do que aquelas que não têm TDHA para alcançar o mesmo resultado. Ao não compreender porque tem que estudar tanto em relação aos seus colegas, ela passa a ter uma visão negativa e equivocada a seu próprio respeito, considerando-se burra e incompetente, o que contribui para o desenvolvimento de sua baixa autoestima.

 

A dificuldade de manter a atenção concentrada em sala de aula pode levar a criança a desenvolver desinteresse em estudar. É muito sofrido lutar permanentemente para manter a atenção e não obter êxito. A tentativa de evitar pensamentos automáticos de que é burra ou incompetente pode leva-a a desistir de estudar. Na maioria das vezes, os pais, por desconhecerem o transtorno, não compreendem os motivos que levam a criança a evitar os estudos. Por isso, aumentam as cobranças, aumentando ainda mais a angústia de seus pequenos.

 

A criança com TDAH tipo desatento pode sentar para estudar, mas ela está num situação desvantajosa em relação às outras pessoas, principalmente porque ela não sabe do seu problema. Ela precisa de um ambiente com o mínimo possível de estímulos. Há de se convir que uma sala de aula repleta de alunos barulhentos não é um lugar ideal para um TDAH desatento concentrar sua atenção flutuante, que se dispersa com simples voar de um mosquito.  Em casa, ela precisa de silêncio e tranquilidade e nem sempre isso é possível.

 

Extremamente desorganizando, o desatento, não consegue manter suas coisas nos lugares, de forma que isso prejudica ainda mais o seu desempenho. O excesso de desorganização, também chama sua atenção, impedindo ainda mais sua concentração.

 

O pensamento do TDAH desatento está sempre nas nuvens. Sua memória de curto prazo é prejudicada, por isso, ele precisa fazer as coisas, no exato momento em que se lembra, caso contrario, fatalmente, esquecerá.  Caso não seja possível fazer imediatamente, ele precisa encontrar estratégia para se lembrar de fazer depois.

 

É comum o desatento não prestar atenção aos detalhes e errar por descuido.  Ele pode errar o caminho do trabalho e por isso perder um tempo enorme, se atrasando para um compromisso sério. Ele pode se esquecer de fazer a vistoria do carro e ser abordado na rua, tendo o carro apreendido.  Ele pode pensar uma coisa e falar outra. Por exemplo, numa prova ele quer dizer adrenalina, mas escreve noradrenalina. Quando alguém lhe dirige a palavra, ele não ouve, porque está viajando por um território longínquo.

 

A pessoa desatenta perde ou esquece coisas importantes para o seu funcionamento diário, como cadernos, lápis e borracha, se criança. Adultos perdem chaves do carro, esquecem o celular ou a carteira em cima do carro, esquece onde estacionou o carro, vão a supermercado comprar carne e volta com tudo, menos a carne. Eles se esquecem de comparecer aos compromissos ou as promessas que fizeram. Esses inconvenientes acabam transmitindo uma ideia errônea de que são pessoas irresponsáveis, em quem não se pode confiar.

 

Os relacionamentos afetivos dos desatentos também são prejudicados. Eles esquecem datas importantes, como aniversários de casamento, por exemplo. Passam a semana se lembrando, mas no dia exato acabam esquecendo, o que aborrece e magoa profundamente seus parceiros.

 

Esses são apenas amostras de pequenos transtornos cotidianos, que atrasam a vida dos TDHA desatentos e causam dificuldades nos seus relacionamentos, principalmente se seus pares desconhecem suas dificuldades. Tudo isso contribui para o desenvolvimento da insegurança e a manutenção de sua baixa autoestima.

 

Dependendo da personalidade da pessoa e do ambiente familiar, ela pode desenvolver outros problemas como, por exemplo,  o TOC, na tentativa de manter seus pertences arrumados. Ou depressão, por não conseguir mudar esse estado de coisas. Pode-se tornar uma pessoa extremamente ansiosa por não conseguir funcionar como a maioria dos seus pares.

 

Se você identificou situações que podem indicar que tem o TDAH desatento, busque ajuda. Sua vida pode melhorar muito a partir do entendimento, do tratamento e da prática de estratégias para contornar esses sintomas.

 

Graça Oliveira

Psicóloga Clínica

Abordagem Cognitivo-Comportamental