TIPOS DE COMPORTAMENTO - 2 - Agressivo

"Eu sou melhor do que você!"

Já falamos do comportamento passivo e de como ele traz prejuízo às pessoas. Agora vamos falar do comportamento agressivo. Este também não é o comportamento ideal para manter relacionamentos saudáveis.

Se a pessoa passiva não consegue defender seus direitos, a agressiva defende direitos que muitas vezem não possui. Ela valoriza seus pensamentos, sentimentos, crenças e ideias e expressa tudo isso de forma inadequada, violando os direitos das outras pessoas. Para defender suas ideias, a pessoa agressiva, com uma superioridade desagradável, inferioriza, ameaça e ataca os outros. Por isso, a maioria das pessoas não consegue se sentir confortável lidando com uma pessoa de comportamento agressivo.

Esse comportamento agressivo pode ter origem na história de vida da pessoa, como por exemplo, convivência com pessoas abusivas; maus tratos físicos e/ou psicológicos; ou na sua própria personalidade. Mas em muitos casos, demonstra também uma insegurança que se esconde nesse comportamento de amedrontar os outros para se proteger.

A competitividade exacerbada é outra característica do comportamento agressivo. A pessoa não aceita perder; tem que ganhar todas, sempre. E para não perder, ela extrapola os direitos dos outros. Ela não deixa passar nada, sem fazer comentários, muitas vezes, avaliativos, deselegantes, arrogantes ou preconceituosos. Muitas dessas pessoas gostam de ostentar e desqualificar as outras, seja em termos de conhecimento, inteligência, status social e econômico-financeiro. Julga-se mais inteligente e experta do que todo mundo e faz questão de demonstrar isso.

Relacionar-se com uma pessoa agressiva, seja no plano afetivo, profissional ou social é desgastante e tenso porque ela é crítica, exigente, ameaça de forma velada ou não, e culpa e desqualifica os outros.  Em qualquer situação de atrito essa pessoa assume uma postura corporal ameaçadora, caminhando impacientemente, apertando os punhos e/ou com dedo em riste.  Costuma invadir o espaço do outro e encarar duramente e utilizar sorriso zombador.

Sua voz é excessivamente firme e estridente, sarcástica ou condescendente, falando de forma professoral ou superior. Costuma se irritar, gritar, interromper a fala do outro.

Sua crença errônea é a de que o mundo é um campo de batalha, onde ela tem que sair vencedora, sempre. Não é incomum ouvi-la dizer que “mata um leão por dia”. Seus pensamentos automáticos giram em torno da concepção de que não há ninguém melhor do que ela, mais inteligente, perspicaz, etc.

No caso da pessoa agressiva também existem benefícios e prejuízos desse comportamento. Os benefícios são: a pessoa se sente poderosa; adora a sensação de estar no controle de tudo; consegue as coisas que deseja, mesmo que seja através da ameaça ou do constrangimento; leva vantagens sobre os outros: e sente-se menos vulnerável diante do mundo.

Porém, os prejuízos são muitos: uma vez que é uma pessoa pouco querida, sua autoestima, no fundo, é deteriorada, porque tende a se sentir inferior e tenta compensar isso inferiorizando ou ridicularizando os outros; seus relacionamentos são instáveis, superficiais e movidos por emoções negativas; pode sentir vergonha do seu comportamento; não consegue relaxar porque está sempre se vigiando para controlar os outros e manter uma postura superior; cria inimigos e ressentimentos por onde passa.

A pessoa que tem o tipo de comportamento agressivo, também pode se beneficiar de treinamento para melhorar seus relacionamentos, desde que reconheça que esse comportamento a afasta das pessoas e a impede de desenvolver relações mais ricas e saudáveis.

 

Graça Oliveira

Psicóloga Clínica

Abordagem Cognitivo-Comportamental