TIPOS DE COMPORTAMENTO - 3 ASSERTIVO

"Respeitando-nos mutuamente"

Nos artigos anteriores falamos sobre os comportamentos passivo e agressivo. Agora vamos falar sobre o comportamento assertivo e de como ele demonstra ser o mais adequado de todos.

A pessoa assertiva procura atingir seus objetivos preservando, o máximo possível, a relação. Por isso, ela expressa com sinceridade seus pensamentos, sentimentos, desejos, opiniões e direitos legítimos sem ameaçar, agredir ou castigar os outros. Essa pessoa tem consciência de sua responsabilidade na situação e nas interações e compreende as consequências de expressar seus sentimentos. Embora a conduta assertiva não possa garantir que não haverá conflito entre as partes, o objetivo do assertivo é aumentar as consequências favoráveis e reduzir as desfavoráveis.

Ela respeita a si mesma ao defender suas necessidades e direitos, assim como respeita os direitos e necessidades dos outros. Consegue discordar do grupo e ao expressar sentimentos negativos, procura controlar sua forma de se expressar, visando preservar os outros e a si própria. É capaz de se valorizar sem ferir ou desqualificar os outros. Faz suas próprias escolhas, mas é capaz de ouvir e considerar a opinião dos outros.

Os pensamentos que permeiam a mente da pessoa assertiva envolvem a determinação de que não permitirá que ninguém se aproveite dela, mas também de que não tirará vantagens de ninguém, procurando sempre agir de forma justa.

A pessoa assertiva tem uma postura corporal ereta, aberta e equilibrada, mantendo características estáveis e movimentos relaxados e mão abertas. Escuta o outro com atenção, mantendo contato visual direto sem fixar de maneira rígida.  Sorri quando está se sentindo satisfeito e quando está com raiva, demonstra isso franzindo a testa.

O seu tom de voz é firme, porém, relaxado e agradável, numa altura adequada à situação. É fluente em seu discurso, sem usar hesitações; é claro e sincero, indo direto ao ponto, sem rodeios. Por ser uma pessoa pacífica, utiliza frases que denotam cooperação e vontade de buscar outras soluções, como por exemplo, “o que você pensa sobre isso?” e “de que forma podemos resolver este problema?”.

É agradável lidar com pessoas assertivas porque elas são bem humoradas, simpáticas e cooperativas. Utilizam o que se convencionou chamar de crítica construtiva, mas na verdade, dá feedback em relação aos comportamentos das pessoas. Não utilizam frases como “você deveria”, sim as do tipo “que tal...?” Ao falar sobre suas ideias costuma enfatizar “isso é o que penso; isso é como eu vejo a situação”.

Quais as vantagens do comportamento assertivo?  As vantagens se revelam através de uma autoestima elevada porque a pessoa se respeita e se valoriza, fazendo com que as outras procedam da mesma forma em relação a ela. O assertivo é uma pessoa querida, por seu comportamento cortês e educado, produzindo assim uma imagem positiva para as outras pessoas. Por isso, ha uma grande possibilidade de obter o que deseja, porque as outras pessoas percebem que ela não é arrogante, prepotente ou impositiva.  O seu grau de seu stress, ansiedade e ressentimento é reduzido, uma vez que diz diretamente o que pensa e sente, podendo com isso, resolver os problemas mais rapidamente. Desenvolve e mantém relacionamentos mais abertos e autênticos, porque sua postura como um todo, aproxima as pessoas e faz com que elas se sintam seguras e confortáveis para se expressar e se revelar. Como não está constantemente preocupado em controlar as situações, em se defender e nem centrado em suas próprias necessidades, o indivíduo assertivo tem mais tempo e disposição para ver e ouvir os outros, e com isso, maior facilidade para amar.  

E existem desvantagens para a pessoa assertiva? Sim, como tudo na vida. A primeira desvantagem é a de que não há garantia de que a pessoa assertiva tenha sempre resultados positivos. Há também o fato de que, em algumas ocasiões, ser assertivo pode ser bastante doloroso, porque, às vezes, é preciso abrir mão de algo para manter sua autoestima intacta. Quando a pessoa, durante muito tempo teve um comportamento passivo e começa a adotar o comportamento assertivo, ela pode se defrontar com sabotagem de parentes e amigos que beneficiaram do seu comportamento anterior exageradamente complacente. De qualquer forma, nada supera o bem-estar de saber que o seu comportamento é socialmente habilidoso e de que está sendo fiel a si mesmo sem, no entanto, desrespeitar as outras pessoas.

Graça Oliveira

Psicóloga Clínica

Abordagem Cognitivo-Comportamental